Quem é ligada nos cuidados com a pele, com certeza já ouviu falar do ácido hialurônico. Mas, afinal, por que ele é tão famoso quando se trata de produtos e rotina de skincare? Quais são os benefícios? Quem pode usar? Cibele Tamietti, dermatologista da Clínica Leger e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) responde essas dúvidas sobre o ingrediente queridinho do mercado da beleza.

O que é o ácido hialurônico?
O ácido hialurônico é uma molécula de glicosaminoglicano presente naturalmente no organismo humano. Mais de 50% do ácido hialurônico do corpo está presente na pele e possui diversas funções como hidratação, reparação e regeneração dos tecidos, preenchimento dos espaços entre as células (matriz extracelular) e estimulantes da produção de colágeno. “Com a idade e consequente envelhecimento, sua concentração diminui. Por isto, pode ser reposto na pele com tratamentos em forma de cremes, por via oral ou injetável”, diz a dermatologista.

O que ele faz e como usá-lo?
O ácido hialurônico tem a capacidade de atrair e reter água preenchendo os espaços entre as células, com alto poder hidratante proporcionando na pele maior elasticidade, vitalidade, viço, maciez e firmeza. Além de prevenir e minimizar as rugas e linhas de expressão. Sua produção natural do organismo diminui a partir dos 25 anos de idade, o que resulta em ressecamento da pele, perda da elasticidade e do volume, e formação de rugas. Para prevenir ou recuperar um pouco destes danos é possível repor o Ácido Hialurônico de três formas: tópico (cremes, gel, sérum), oral (cápsulas) ou injetável.
“O uso tópico (creme, gel, sérum) melhora a hidratação, textura e qualidade da pele. Existem produtos com diferentes pesos moleculares do ácido hialurônico. Os produtos de alto peso molecular ficam na superfície da pele e tem ação primariamente hidratante. Os de baixos peso moleculares penetram na pele e tem mais ação antienvelhecimento por estimularem a produção do nosso próprio ácido hialurônico. Já o uso oral (cápsula) promove benefícios relacionados à hidratação da pele, como melhora da elasticidade e do brilho da tez, além de reparação dos tecidos com consequente redução da profundidade das rugas.
E, por fim, temos o injetável, que é um produto em forma de gel aplicado pelos médicos diretamente na pele para preencher rugas e sulcos (ex; “bigode chinês”, olheira), promover sustentação, melhora do contorno facial e aumento de volume (ex. aumento de lábios, bochechas, queixo, mandíbula) e corrigir cicatrizes atróficas (ex cicatriz de acne, cicatriz de catapora). Seu uso de forma correta pode também corrigir assimetrias e deixar o rosto mais harmônico”, explica Cibele Tamietti.

Quem pode usar?
O ácido hialurônico tópico não tem contraindicação e pode ser usado por todos os tipos de pele, a partir dos 25 anos de idade, inclusive peles oleosas. Só é necessário ficar atento ao tipo de veículo (creme, gel, sérum) adequado para cada tipo de pele e idade. E também (quando não está associado à outros ativo) está liberado inclusive para gestantes e lactantes. Já o ácido hialurônico oral e injetável deve ter cautela no seu uso e uma correta e adequada indicação pelo seu dermatologista.

Compartilhar no
Ácido hialurônico, o queridinho do skincare: conheça os benefícios e saiba se você pode usar