Alunos da rede estadual de ensino precisarão entregar um número mínimo de atividades exigidas pela escola para serem aprovados em 2020. Caso não entreguem, poderão ser reprovados e cursar o mesmo ciclo novamente em 2021. Em Marília e região, cerca de 25 mil alunos que estudam em 63 escolas estão nesta situação.
Por causa da pandemia, a Secretaria de Educação desenvolveu o conceito de “ciclo de aprendizagem 2020-2021”.
A ideia é que todo o aprendizado previsto para esses dois anos seja avaliado de maneira única ao final de 2021. A exceção é para os alunos do 3º ano do ensino médio, que não precisarão fazer em 2021 o 4º ano, que foi criado temporariamente e é opcional.
Os anos letivos de 2020 e 2021 serão considerados como um único ciclo contínuo. Por isso, a avaliação da aprendizagem será feita ao longo de oito bimestres (quatro de 2020 e quatro de 2021).
Os alunos que entregaram as atividades propostas neste ano serão aprovados para o próximo ano letivo, mas terão o aprendizado avaliado ao final de 2021.
Já os alunos que não fizeram as atividades terão a oportunidade de fazê-las e entregá-las ainda neste ano. Também é importante que, neste caso, eles voltem a frequentar as aulas presenciais, quando possível, para conseguir frequência. A progressão para o ano seguinte dependerá da frequência, mas a aprendizagem, assim como nos demais casos, também será aferida ao final dos oito bimestres.
“O aluno tem de apresentar o mínimo de atividades, não estamos falando de uma progressão automática para todo mundo. Mesmo que o aluno não alcance a aprendizagem idealizada, poderá prosseguir se tiver o essencial. Ampliar as oportunidades neste momento é fundamental, mas estamos identificando os estudantes e enviando notificações”, afirmou Rossieli Soares, secretário estadual da Educação.

Recuperação
A secretaria tem feito um trabalho de busca ativa dos alunos que tiveram participação nas aulas inferior a 75% nas atividades da escola, está oferecendo a eles oportunidade de realizar as atividades para, enfim, conseguirem progredir de série em 2021.
Soares informou que a secretaria vai disparar SMSs e enviar e-mails para os estudantes e responsáveis. As escolas, por sua vez, deverão mobilizar seus estudantes para retirar os kits impressos para a realização das atividades.
Os alunos serão incentivados a participar das aulas e entregar as atividades necessárias ainda neste ano. Entretanto, caso não sejam realizadas em sua totalidade, ele terá ainda a oportunidade de participar da recuperação em janeiro de 2021. O conselho de classe indicará quais os estudantes prioritários para esta ação.
“Haverá avaliação das atividades recebidas e o conselho de classe vai definir se o aluno vai progredir ou não. Se ele entregou as atividades, mesmo com problemas na aprendizagem, deve prosseguir. As dificuldades serão contempladas no plano de reforço”, explica Soares.
Mais de 10 mil professores serão contratados para atuar no programa de recuperação e aprofundamento dos alunos das escolas estaduais. Os docentes da rede que tenham interesse em participar das aulas de recuperação em janeiro, mediante pagamento extra, também terão essa opção.
O programa será implementado para minimizar os déficits na aprendizagem dos estudantes que podem ter ocorrido durante o período de suspensão das atividades presenciais.

Municipal
A prefeitura informou que deve ser definido no final da próxima semana como será o esquema nas escolas da rede municipal – se haverá uma tolerância aos alunos neste ano que ficarem abaixo do aprendizado necessário.
“A Secretaria Municipal da Saúde informa que as questões estão sendo analisadas por uma comissão formada por representantes dos setores da Saúde, Educação e Assistência Social. Informações mais precisas só serão divulgadas depois da elaboração do parecer da comissão, no final da próxima semana.”

Compartilhar no