• Post Category:Pet

Renata Bedore, médica veterinária do Planeta Animal, fala sobre cuidados com os pets no período de isolamento

Os pets sempre foram uma ótima companhia e neste momento de isolamento social se mostram como grandes aliados proporcionando apoio emocional, além de ajudar a manter uma rotina mais frequente de exercícios e nos incentivar a realizar brincadeiras em casa.

Contudo, a pandemia do novo coronavírus provocou intensas mudanças não apenas para nós, humanos, mas também para os animais de estimação. Passamos mais tempo em casa e não apenas mudamos a rotina, como também deixamos de ter qualquer horário certo para executar nossas atividades. Isso, de certa forma, se reflete na interação com nossos animais.

A médica veterinária Renata Bedore, da clínica Planeta Animal, ressalta que os impactos para cães e gatos são um pouco diferentes. Por isso, nessa matéria, vamos abordar cada um de forma individual. Confira.

Enriquecimento ambiental com prateleiras e móveis especiais podem ajudar na privacidade do gato

GATOS

O gato é um animal independente, que preza por sua privacidade. Normalmente passa por grandes períodos sozinho em casa sem qualquer dificuldade. O animal usa a caixa de areia, brinca, escala, come e dorme com mínima interferência de seu tutor. Mas, na quarentena, esse quadro mudou. Com os tutores em casa, o animal pode perder parte de sua tranquilidade quando exposto ao maior contato com os humanos – que pode ser ainda mais intenso quando há crianças na casa, pois tendem a acessar os animais com maior frequência. “Os gatos podem sofrer com um ‘excesso de cuidado’ durante nosso isolamento. O proprietário tende a acordá-lo durante uma soneca, pegar no colo e ter outras atitudes que interferem fortemente em sua rotina e eleva seus níveis de estresse”, explica a médica veterinária Renata Bedore.

Também é comum que o proprietário faça alterações no mobiliário da casa durante a quarentena, o que pode causar estranhamento no gato, principalmente se a mudança incluir o local onde o animal faz necessidades.

“Em consulta, alguns tutores se queixaram de que o animal deixou de urinar ou passou a urinar em local inadequado. Mas durante a investigação descobrimos que a alteração de comportamento se devia à mudança de local da caixa de areia. Se essa mudança for realmente necessária, é importante avaliar se o animal gostou do novo local para reduzir esse tipo de reação”.

Uma das sugestões da médica-veterinária para reduzir o estresse dos felinos durante o período em que convivemos mais com eles é proporcionar o enriquecimento ambiental, que pode ser obtido com mobiliário apropriado para felinos ou até mesmo com prateleiras que ofereçam a possibilidade de escalada para locais mais altos, onde eles podem se refugiar quando quiserem seu momento de privacidade, assim como caminhas e caixas de papelão onde podem se esconder quando sentem essa necessidade de isolamento.

Brincadeiras e passeios curtos podem ajudar cães durante o isolamento

CÃES

Os cães costumam ter uma necessidade maior de estar próximo ao dono e, com períodos mais prolongados em casa, eles gostam de receber mais atenção. Contudo é preciso ponderar o excesso de cuidados, pois o impacto da separação futura pode alterar o emocional destes animais. É preciso tentar não intensificar muito o contato, mantendo-o em níveis saudáveis, tentando manter ao máximo a rotina comum de cuidados e carinhos do animal.

Outro impacto pode ser na alimentação, pois em casa o dono pode tender a alimentar o cãozinho mais vezes, ou ainda mais petiscos ou pedaços de comida. E se antes levávamos o cachorro para passear várias vezes ao dia, hoje, para evitar nossa exposição, saímos apenas uma vez ou até mesmo deixamos o hábito do passeio de lado. Essa mudança de hábito por si só já pode trazer algumas consequências para o animal, pois há uma redução na intensidade de atividades físicas, com impacto no ganho de peso. Pode fazer ainda com que o animal adie o momento de fazer suas necessidades por estar habituado a fazê-las na rua, o que pode repercutir em problemas de saúde.

A sugestão da médica-veterinária é que os passeios continuem, mesmo que sejam com períodos reduzidos, buscando horários de menor aglomeração.

“O tutor deve usar máscara, mas não é necessário colocar qualquer tipo de proteção no animal. Só é necessário realizar a higiene das patas antes de entrar em casa, com um lenço umedecido ou água e sabão, da mesma forma que devemos higienizar sempre, a cada saída do animal”, pontua.

Na impossibilidade de sair, é importante reforçar as atividades dentro de casa, com uso de brinquedos para que o animal continue a ter uma rotina de exercícios.

CUIDADOS GERAIS

Adoção: A médica veterinária ressalta que durante o período de quarentena houve um aumento considerável nas adoções e aquisições de animas de estimação, o que é positivo. Contudo, é preciso ter responsabilidade nas decisões. “O proprietário deve pensar se terá tempo e emocional disponíveis para cuidar desse animal quando a rotina voltar ao normal. Com um ritmo de vida mais acelerado, pode ser que o animal receba níveis insuficientes de atenção. Essa falta de ponderação pode fazer também com que aumentem os casos de abandono futuramente”, pontua.

Estresse: Caso mesmo com a adoção das medidas sugeridas o animal apresente sinais de estresse, como grandes mudanças de comportamento, depressão ou agressividade, é importante procurar um médico-veterinário. “Há opção de tratamentos com florais e até mesmo medicações que, em último caso, podem ser adotadas para reduzir o impacto da situação”.

Banhos: As rotinas de banho e tosa podem permanecer inalteradas, sendo inclusive importantes para manter a saúde da pele e pelo dos animais.

Vacinas: Mesmo que o animal esteja em isolamento com seu dono, é de extrema importância manter as vacinas em dia para evitar qualquer problema de saúde que seja prevenível. Muitos dos vírus estão no ar e podem ser contraídos mesmo em casa. Outras doenças, como a leishmaniose, por exemplo, são transmitidas por mosquitos, portanto não deixe de vacinar apenas pelo animal deixar de sair de casa. Prevenir é sempre o melhor remédio.

Covid Postivo: Em caso de confirmação de pessoa com resultado positivo para Covid é importante manter distanciamento não apenas das pessoas da mesma casa, mas também dos animais. “Até o momento não há qualquer confirmação sobre o animal ser um reservatório da doença. Contudo, a pessoa que está com o vírus pode passar a mão no pelo do animal e com isso ele pode carregar o vírus para outras pessoas que nele tocarem”, ressalta a veterinária.

SAIBA MAIS

Caso o proprietário esteja fazendo isolamento total, a clínica Planeta Animal disponibiliza facilidades como o leva e traz para banho e tosa e vacinas. Há também o e-commerce para realizar as compras de medicações, acessórios, rações, entre outros muitos produtos (Acesse: https://www.planetanimal.com.br/). A compra também pode ser feita via WhatsApp pelo (14) 99661-2355.

A clínica fica na Rua Sorocaba, 91, e o telefone para contato é o (14) 3432-5018.

Renata Borghetti Bedore (CRMV 10.070) – Médica veterinária especialista em Comportamento Animal e Dermatologia.

Compartilhar no
Como cuidar dos animais durante a quarentena