A Polícia Civil investiga um funcionário de uma loja de departamentos no Centro de Marília por suspeita de estelionato envolvendo cartas de crédito de um consórcio que, segundo ele, estavam contempladas. Ao menos sete vítimas já procuraram a polícia para fazer a denúncia.

A loja fica na rua São Luiz e o funcionário estaria utilizando seu WhatsApp pessoal para oferecer as vantagens ilusórias. De acordo com as vítimas, o dinheiro era entregue em espécie para o funcionário ou era depositado na conta pessoal do investigado.

Dois boletins de ocorrência foram registrados contra o funcionário nesta quinta-feira (3) e outros quatro casos anteriores já estavam em apuração. A empresa foi informada sobre os supostos golpes e solicitou que as vítimas fizessem um registro policial.

Segundo uma das vítimas, um professor de 28 anos, o suspeito anunciou em um grupo de uma rede social que possuía cartas de crédito contempladas. Em mensagens privadas no WhatsApp, o funcionário relatou que a carta de crédito custaria R$ 4 mil, em compensação ao que já tinha sido pago por um suposto terceiro sorteado no consórcio.

Após uma negociação, o professor realizou um pagamento de R$ 2 mil e uma carta de crédito foi passada para o seu nome depois de dez dias, porém, ainda não estava contemplada.

Uma outra vítima, desta vez uma mulher de 20 anos, relatou que pagou R$ 3 mil por uma carta de crédito de R$ 70 mil. Um consórcio também foi contratado em seu nome, mas ela também não recebeu a carta contemplada.

Compartilhar no
Polícia Civil investiga funcionário de  loja de departamentos por estelionato
Funcionário é investigado pela Polícia Civil; ao menos sete vítimas registraram queixa