A exposição Breaking The Fourth Wall – A Digital Art Expo (ou Quebrando a Quarta Parede – Uma exposição de Arte Digital, em português), está despertando o interesse das pessoas pela arte em NFT (No Fungible Tokens), ativo digital que tem sua autenticidade comprovada por blockchain, a mesma tecnologia utilizada nas criptomoedas.
Prova disso é a venda da obra Portrait of the Night, da artista ucraniana Nadiia Forkosh, que estava na plataforma MakersPlace por mais de 200 dias e após o início da exposição, foi arrematada por US$ 4.500.
A exposição, em Florianópolis (SC), conta com a participação de um time de artistas digitais brasileiros de peso, como o premiado André Holzmeister, brasileiro que mora em Nova York e é considerado referência mundial em NFT, computação gráfica e motion design, além de nomes como Flávio Montiel, Rafael do Nascimento Fernandes, Rodrigo Rodrigues (RodRod), entre outros.
Para Holzmeister, esse é só o começo de um mundo novo que se abre, com olhos para o futuro. “O NFT está democratizando a arte digital e tornando-a acessível a todos. A exposição se tornou uma importante chave que está abrindo a porta para as pessoas se aproximarem mais desse universo, além de uma importante possibilidade para os artistas divulgarem suas obras, até então pouco conhecidas”.
“O mistério se esconde, e não aparece…a história é imaginação. Todos os segredos estão sendo mantidos sob sua capa azul”.Essa é a forma como Nadiia Forkosh define a obra digital The Portrait of the Night. “Na minha criação pretendo abrir a alma das coisas. Eu não crio a imagem que aparece por si só, estou olhando a sua forma. Dessa forma, eu imprimo o meu estilo”, diz a artista ucraniana.
Nascida em Kiev, na Ucrânia, Nadiia teve contato com a arte ainda pequena. Seu avô a ensinou a desenhar. “Ele me ensinou que as linhas podem ser subjugadas à sua vontade e que a cor pode dizer mais como você se sente do que as palavras”.
A partir daí, a artista passou a pintar e deu vida a diversos personagens – pessoas, roupas, árvores, integrantes de contos de fada. Após terminar os estudos, Nadiia não queria mais retratar o mundo, mas compreendê-lo.
A partir do momento em que ingressou na universidade, a artista começou a estudar as obras de grandes mestres, sendo três deles grandes influências em seu estilo, como Michelangelo Merisi, conhecido como Caravaggio, Salvador Dalí e Wassily Kandinsky. “Caravaggio me surpreendeu com contrastes e pressão. Dalí me mostrou que podemos colocar nossos sonhos na perspectiva da realidade. A energia fluida e a expressividade afiada de suas pinturas influenciaram minha busca pela forma”.
Mas Nadiia encontrou a liberdade de estilo quando conheceu as obras de Kandinsky. “Linha, ponto e cor aqui adquiriram independência do retratado, o que é característico da própria arte. Entendi Kandinsky como um chamado para remontar a estética da pintura”.
Originalmente artista das telas e pincéis, Nadiia foi surpreendida pelo mundo digital, que, como ela diz, surgiu de repente e começou a influenciar ativamente as atitudes estéticas usuais, tornando-se um campo de experimentação. “Eu queria encontrar uma ferramenta para retratar a alma nesta dimensão digital”, ressalta.
Atualmente, suas obras em NFT estão expostas na galeria ARX de Londres, juntamente com suas telas. “Ainda estou tentando resolver o enigma de linhas e cores que meu avô uma vez me falou”, reflete.

Compra das obras
Localizada no rooftop do Floripa Square, a exposição Breaking The Fourth Wall – A Digital Art Expo pode ser vista a quilômetros de distância pelas pessoas. Para quem se interessar pelas artes, o mecanismo de compra é inovador, assim como a própria arte em NFT. Por meio da leitura de um QR Code, o interessado em conhecer e adquirir as obras é direcionado para o site no qual elas estão expostas e ali mesmo pode fazer a compra da arte em NFT escolhida.

NFT: Exposição de arte digital no Brasil tem sua primeira obra vendida
Com a mostra digital, a obra Portrait of the Night, da artista ucraniana Nadiia Forkosh, foi arrematada por US$ 4.500