Especialista alerta para aumento de até 80% dos casos no período do verão e explica como prevenir

O aumento do calor é um fator de risco significativo para um problema comum, o cálculo renal. As populares pedras nos rins acontecem com mais frequência nos períodos de temperaturas mais altas e, nessa época, é preciso prestar mais atenção. Segundo estudos, no verão o número de casos de cálculo renal pode aumentar em até 80%.
Fabio Vicentini, urologista chefe do Centro de Cálculo Renal do Hospital 9 de Julho, explica que o aumento da transpiração e as mudanças na alimentação comuns no verão são os principais responsáveis pelo crescimento dos casos de cálculo renal. No calor, o corpo elimina mais água pelo suor e uma desidratação, mesmo que leve, prejudica o trabalho dos rins.
“Os rins não responsáveis por realizar a filtragem de substâncias que o corpo não utiliza, entre eles os sais minerais. Esses elementos podem se agrupar e formar cristais que, acumulados, se transformam nos cálculos”, explica o especialista.
Para evitar essa formação, é fundamental aumentar a ingestão de líquidos no calor. “Um bom indicador de que a pessoa está bebendo a quantidade certa de líquidos é a coloração da urina. Quando ela está bem clara, é sinal de que o corpo está hidratado.” Além de água, o urologista recomenda o consumo frequente de sucos de frutas cítricas, que contribuem para prevenir a formação dos cristais.
Além das bebidas, é importante observar também a alimentação. “Para a melhor saúde dos rins, deve-se manter uma dieta com muitas verduras, legumes e frutas, e diminuir a quantidade de frituras e de proteína, que aumenta o índice de ácido úrico e a acidez da urina colaborando para a formação das pedras. Além disso, é fundamental reduzir o consumo de sódio”, explica Fabio Vicentini.
No verão, também aumenta a oferta de frutos do mar, mas é preciso moderação. “Eles possuem níveis elevados de ácido úrico, que é um dos elementos responsáveis pela formação de cálculos renais.”

Pedras nos rins são mais frequentes no calor
Aumento do consumo de frutos do mar pode se relacionar com a formação de cálculos devido a elevados níveis de ácido úrico