• Post category:Agro

As Áreas de Proteção e Recuperação de Mananciais (APRM) contam agora com mais um instrumento de preservação: os Grupos de Fiscalização Integrada (GFIs) durante reunião na Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado (SIMA) e por videoconferência.

A medida é inédita e busca incrementar as ações de proteção nas áreas de mananciais, responsáveis pela produção e conservação de água para o abastecimento humano.

“Precisamos recuperar, proteger o meio ambiente e conscientizar as pessoas de que áreas de preservação têm de ser protegidas. As gerações futuras vão aprender com nossas ações que o normal é termos essas áreas cuidadas com vegetação e fauna. E assim teremos orgulho de dizer que temos no nosso estado uma área preservada que é a garantidora da qualidade de vida de todos nós”, destacou o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

São três grupos: a APRM do Alto Juquery (APRM-AJ), que abrange os municípios de São Paulo, Caieiras, Franco da Rocha, Mairiporã e Nazaré Paulista; do Alto Tietê Cabeceiras (APRM-ATC), com Biritiba-Mirim, Mogi das Cruzes, Paraibuna, Ribeirão Pires, Salesópolis e Suzano; e da Bacia Hidrográfica do Guarapiranga (APRM-G/Sudoeste), que inclui Cotia, Embu das Artes, Embu Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba e São Lourenço da Serra. Os GFIs foram instituídos pelas resoluções SIMA (números 37, 38 e 39, em 16 de junho deste ano).

“A ação do estado congregada com os municípios tem de ser firme para mantermos as áreas preservadas e recuperarmos aquelas que foram ocupadas indevidamente para que tenhamos saúde ambiental nas áreas dos mananciais. É política essencial do governo preservar a qualidade da água e dos reservatórios, que têm de conviver com a cidade de forma harmoniosa”, disse o subsecretário de Meio Ambiente, Eduardo Trani.

Grupos de fiscalização integrada reforçam monitoramento em área de manancial