O engenheiro civil Gustavo Vaceli, formado na Universidade de Marília (Unimar), participou da construção de uma Creche Escola Comunitária em Fortaleza, no Ceara. Nomeada como Centro Integrado de Ações Comunitárias (CIAC), o prédio foi desenvolvido inteiramente pensado na qualidade de vida dos moradores.

O projeto foi idealizado pensando no baixo impacto, baixo custo e fácil replicação – três itens das tecnológicas sociais. As produções dos insumos para construção da creche escola, como fundações, tijolos, ensacamentos de terra, estrutura de Pau a Pique, foram realizadas no próprio local da obra.

Do começo ao fim da obra foram adotadas técnicas de bioconstrução, saneamento ecológico e arquitetura eficiente. Foi escolha dos engenheiros não utilizarem materiais mais comuns disponíveis no mercado.

Projeto continha um salão geodesico (Foto: Gustavo Vaceli)

A Creche Escola conta com uma planta orgânica e fora dos padrões ortogonais. Todo seu desenho foi feito de forma que pudesse obter maior aproveitamento dos espaços, dando a possibilidade incluir áreas abertas com plantas, cores e cheiros, para as crianças terem mais conforto dentro do ambiente escolar.

Os fatores naturais da região foram estudados em busca de garantir que os recursos disponíveis seriam utilizados da melhor maneira possível. Tudo foi pensado. A posição do terreno em relação ao nascimento e o por do sol, a inclinação do telhado dos prédios, a ação dos ventos, foram alguns dos fatores utilizados na construção da creche escola.

Bioconstrução foi utilizada como método (Foto: Gustavo Vaceli)

Conforme Gustavo Vaceli, o uso da alvenaria de terra crua foi possível reutilizar a terra das escavações do sistema de saneamento ecológico e das fundações. A opção correspondeu uma economia de 70% do total da terra utilizada na construção, sendo utilizadas 700 toneladas.

A alvenaria interna foi executada com a técnica de “Taipa de mão”, ou “Pau a Pique”, como é mais conhecida. Na parte externa, as paredes foram erguidas com terra ensacada – técnica de bioconstrução conhecida como Hiperadobe –, o que garantiu maior isolamento térmico, diminuindo a variação de temperatura em épocas mais intensas.

A utilização do saneamento ecológico e a captação da água das chuvas tornaram a Creche Escola ainda mais eficiente, causando menos impacto ao Meio Ambiente. O prédio não despeja resíduos na rede pública. Tudo é reutilizado, como a água captada sendo útil para a produção da horta e na manutenção da escola, tanto na parte da limpeza e cuidados com o jardim.

Compartilhar no
Formado na Unimar, engenheiro participa da construção da 1ª escola sustentável do país