Como vencemos os desafios de ensinar e formar cidadãos na era digital

Março do ano de 2020. Ano da Pandemia. Medo e preocupações. Agrupamento de pessoas foi proibido!
Com a comunidade escolar não foi diferente.
Os riscos se mostravam assustadores.
A comunidade cientifica estava debruçada na difícil tarefa de enfrentar situação tão avassaladora!
De todos os lugares partiam ideias de enfrentamento para uma crise que assolava o mundo.
Como substituir o ensino presencial, como lidar com as atividades extraclasse, as avaliações e tantas outras atividades que envolvem a comunidade escolar?
Como lidar com os pequeninos alunos que nada dominavam dos processos virtuais?
Qual a velocidade de adaptação dos professores às novas tecnologias?
E os pais, estariam preparados para as novas propostas? Era preciso paciência redobrada com os filhos e um acolhimento especial com as experiências que seriam vivenciadas pela comunidade escolar.
Neste momento, tão significativo, não tivemos opção e abraçamos a causa por um bem maior, o ensino remoto se mostrava a única alternativa de levar adiante a educação de nossos alunos e barreiras precisariam ser transpostas…
E foram!
E esse abraço que hoje considero fraterno nos ensinou que compartilhar é a melhor forma de vencer desafios e agregar conhecimento.
Mas não era apenas o conteúdo em si, que precisava ser vencido, as relações emocionais ficaram afetadas.
Era preciso perceber de forma sensível as angústias que os alunos estavam vivenciando diante destas interações nestes ambientes digitais.
Nesse turbilhão de mudanças e transformações, a Gestão Escolar, em especifico Direção e Coordenação, precisavam estar sensíveis a compreender o contexto e os desafios de FORMAR CIDADÃOS NA ERA DIGITAL.
Este desafio trouxe uma esperança em acreditar que toda desacomodação gera um crescimento por parte de todos, implica acreditar nas pessoas, nos professores que formam a escola, construir um olhar positivo sobre as nossas capacidades de superar o novo e acreditar na capacidade de cada um, bem como a ressignificação humana, por um bem maior, a aprendizagem.
Seguimos nessa construção tendo certeza de que o MUNDO DIGITAL não se desvinculará da EDUCAÇÃO, das ESCOLAS, nem tampouco de nossa rotina diária com nossos alunos, pois houve
um novo ressignificado para o aprendizado resultando num aprimoramento na qualidade do ensino.
Não acreditamos que a educação aconteça, a partir de hoje, somente por meio das ferramentas tecnológicas, computadores, Chromeboook, não serão somente estas possibilidades que marcarão uma Educação de qualidade, o olhar, a sensibilidade dos nossos professores e Equipe de Gestão para o aluno continuarão sendo essenciais para que esta visão humanística possa acontecer.
A Educação continua solicitando presença física para com todos os envolvidos no processo ensino-aprendizagem.

Silvana Regina V. M. Spila
Diretora Pedagógica do Colégio Bezerra de Menezes

ESPECIAL EDUCAÇÃO 2022 – por Silvana Regina V. M. Spila – Colégio Bezerra de Menezes