O curso de Direito da Universidade de Marília (Unimar) realiza nesta quarta-feira, (1), videoconferência com os acadêmicos para debater sobre os “Grandes julgamentos do Supremo Tribunal Federal e da Suprema Corte dos Estados Unidos”.
A discussão será realizada pelos docentes Emerson Ademir Borges de Oliveira e o Dr. Ricardo Pinha Alonso. Segundo Oliveira, o debate prevê o estudo de cada órgão, ressaltando as semelhanças e diferenças.
“Iremos apresentar aos acadêmicos a forma de julgamentos do Supremo Tribunal Federal e da Suprema Corte do Estados Unidos, comparando três grande casos de ambos os países. A ideia é debater toda a parte jurídica e política envolvida. Iremos ensinar como funciona e qual a principal atuação de uma das principais Cortes do mundo, que é a dos Estados Unidos, e comparar com o funcionamento do Supremo Tribunal Federal”, explica.
Ainda segundo Oliveira, a aula digital é mais um diferencial da Unimar, que abordará temas inovadores e pouco explorado pelas demais Instituições de Ensino.
“Os acadêmicos têm uma oportunidade ímpar e bem diferente de aprendizagem participando das aulas digitais, principalmente explorando este tema, porque o estudo da Suprema Corte não é algo comum no currículo das Faculdades de Direito”, conta.

APRENDIZAGEM / Para a Coordenadora do curso de Direito da Unimar, Francis Marília Pádua, o debate será uma excelente oportunidade de aprendizagem aos acadêmicos de todos os anos de graduação e pós-graduação.
“As decisões do Supremo Tribunal Federal sempre envolvem temas de grande repercussão nacional e de interesse de todos os brasileiros. Ao promoverem estes debates semanais de casos práticos já julgados, os docentes propiciam uma oportunidade única para os alunos de consolidarem o aprendizado! “, afirmou

CONTATO / Os debates serão realizados às quartas-feira, iniciando no dia 01 de abril, a partir das 21h, através do Hangouts meet. Mais informações pelo e-mail direito@unimar.br

Unimar debate julgamentos por videoconferência nesta quarta
Algumas dos principais julgamentos dos últimos anos do Supremo Tribunal Federal estão na pauta de videoconferência