Depois de praticamente um ano de investigação, após a deflagração da Operação Novam Vitam feita pela Polícia Civil através da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) para investigar crimes de pornografia e estupro de vulnerável, um professor de Marília, que trabalhava em Assis, foi condenado a 5 anos de prisão em regime fechado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Com 33 anos de idade, em março do ano passado ele foi preso por armazenar conteúdo pornográfico envolvendo crianças no celular. O condenado dava aulas e atualmente tinha cargo administrativo na rede municipal de educação de Assis, mas tinha residência fixa em Marília.
O professor se passava por uma mulher nas redes sociais para enganar as pessoas. Na época de sua prisão a Polícia Civil encontrou dois celulares e dois computadores. Nos celulares ele tinha fotos e vídeos com cenas pornográficas e de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes.
Na época do indiciamento a Polícia também tinha ido ao prédio da Secretaria Municipal de Educação, fizeram buscas, mas não encontraram nada ilegal no trabalho do agora condenado. A Polícia Civil chegou ao criminoso após denúncia de uma pessoa que foi abordada pelo professor na internet.

Compartilhar no
Professor de Marília é condenado por pedofilia a 5 anos em regime fechado