A crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus tem deixado espaço para algumas exceções. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) informou que a venda de frutas cítricas para outros países mais que dobrou no primeiro semestre deste ano. Segundo o boletim da CNA, as exportações de itens como tangerina, laranja e limão subiram 158%, 132% e 12%, respectivamente, no primeiro semestre de 2020, quando comparado com o mesmo período de 2019.

A escolha por essas frutas não é aleatória. Trata-se dos alimentos mais ricos em vitamina C, que ajudam a fortalecer a saúde para enfrentar a propagação do vírus. A exportação de banana teve alta de 17% entre os mesmos intervalos. Houve ainda forte procura estrangeira por hortaliças.

A exportação de produtos como cenoura, tomate, cebola e batata cresceu mais de 300% no primeiro semestre, o que ajudou a minimizar as dificuldades de comercialização desses produtos no mercado brasileiro. Os dados da CNA apontam que ainda existe grande divergência entre as medidas de prevenção e controle do coronavírus nas cinco regiões brasileiras, o que ainda mantém muitos comércios com as portas fechadas.

Pandemia faz Brasil dobrar exportações de frutas com vitamina C